HOME •  INFORMAÇÃO • Artigos
Poemas às mães

Que estes dois poemas expressem nossas sinceras homenagens a todas as mães pela passagem do seu dia...
Feliz Dia das Mães!


I- De uma mãe para o seu filho

Meu ideal como mãe

Para meu filho,
Meu ideal como mãe...

Meu ideal seria construir uma história tão linda e tão lúdica, que colorisse o
coração daquele menino que está sempre sedento, sempre tão carente, naquela pequena casa, mas que possui a árvore mais frondosa que já vi.
E que ao ouvir a história, esse menino enchesse sua alma de alegria e de cor...

Que a minha história o fizesse sorrir para a árvore ao se refrescar em sua sombra. E que ele ficasse tão maravilhado com as cores, que enchesse seus sonhos, que fortalecesse sua mente e que fosse conduzido pelos caminhos da poesia.

Meu ideal seria que essa história acalentasse suas angústias e fosse remédio para as feridas, até as da alma. E que ele percebesse a diferença e a beleza únicas dessa história, de tal forma, que convidasse outras crianças e fizesse uma festa embaixo da árvore para que todas pudessem ouvir que a sua história tinha leveza, pureza e graciosidade, pois todos os dias sua “mamãe Mecheline” – assim que ele a chama...
Todos os dias, ela o fazia repetir: “Essa é a Palavra de Deus. É como se fosse a boca de Deus falando. E porque Deus não mente, aqui só tem verdade”.

Ah, e que os seus olhos brilhassem de paz ao narrar as aventuras de Noé e sua
família – do dilúvio, da arca – a fé de Abraão, de Isaque e de Jacó; os feitos de Moisés; as tábuas da Lei... E que, em Cristo, elas são cravadas no coração...

Meu ideal seria que em total devoção em contar as verdades da Palavra de Deus, a história daquele menino, que está sempre sedento e sempre tão carente, o conduzisse à vida eterna...
Que nossa maior alegria compartilhada juntos fosse a de encontrar nosso Senhor Jesus e O bendizermos por toda eternidade a sombra de outra árvore - a árvore da vida.

Nota: Este texto foi escrito em um momento de inspiração e alegria pelo privilégio de ser mãe... do meu filho.
Este texto foi para ele, mas por certo, estende-se a todas as mães também.
Micheline Medeiros em 28/04/2010.


II - De uma filha para a sua mãe

Colcha de Retalhos

Quão grande amor por mim demonstrou,
Gerou-me  por nove meses,
Me  trouxe em paz à vida,
E mostrou-me  o quanto sou querida

Me vê crescer;
E cuidadosa nunca deixou de ser,
Impressiona-me a cada momento com seu carinho e acalento.
Sinto-me honrada e lisonjeada, por ter ao meu lado uma pessoa tão dedicada.

Dela nada consigo esconder, pois é tão sensível que uma lágrima não consegue conter.
Triste ou alegre, está sempre ao meu lado,
Fazendo o possível para eu viva os mais elevados planos de Deus,
Criando oportunidades espetaculares, para que possa me promover,
E uma jovem de Deus eu possa sempre ser.

É minha amiga e conselheira,
Na escuridão é uma centelha, a me guiar e o caminho clarear,
Na alegria é uma companheira para juntas comemorar.
Vou resumir todas estas qualidades na minha mãe:

Vejo-a como uma artesã, e eu a colcha sendo feita,
Ela sempre a colcha a bordar,
Com a melhor linha que se poderia usar,
Que é o caminho pelo qual ela me ensinou a trilhar,
A fonte de toda beleza ...  Deus é a sua fonte

Espero que quando essa colcha terminar de bordar,
Possa se alegrar com a beleza espelhada,
E veja em mim a glória de Deus sendo revelada.

Por Ruth Cartaxo

Nota: Este poema foi o vencedor do concurso de Cartas às mães com os alunos do Fundamental II. Ruth é aluna do Oitavo ano.

 



Clique para comentar este ARTIGO.
(Obs.: Seu e-mail não será divulgado.)

INSTITUCIONAL
MULTIMÍDIA
INFORMAÇÃO
OUTROS
Rua Cícero Fernandes Pimenta, 433 - Monte Castelo - Parnamirim-RN Fone 84 3272.3432
© 2007-2018 Imago Dei Instituto de Educação Cristã
ConexãoDigital.com