HOME •  INFORMAÇÃO • Artigos
Uma reflexão sobre a liberdade cristã e soberania nacional
191° Aniversário da Independência do Brasil
Uma reflexão sobre os conceitos de independência e liberdade

Por Rubens Cartaxo

Em nosso país, toda escola deveria ter pelo menos uma vez por semana um momento destinado ao desenvolvimento do espírito cívico - é o que conhecemos por "momento cívico semanal".

Aqui em nossa escola procuramos cumprir esta determinação legal de desenvolver o espírito cívico na nossa comunidade escolar, através de pelo menos um encontro semanal para exposição dos símbolos nacionais através do hasteamento de bandeira e canto do hino. Todas as segundas-feiras, por muitos anos nos reunimos no pátio interno para este momento que é sempre bem aproveitado na valorização da nossa individualidade como nação e construção da nossa identidade.

Por ocasião do período próximo ao aniversário da independência - a chamada semana da pátria - este momento resveste-se de um sentido especial por ocasião da passagem de mais um aniversário da Independência do nosso pais. Cabe aqui, destacarmos em rápidas palavras, um pouco sobre o que significa esta independência a ser comemorada.

Para melhor entendermos o seu significado, é melhor começarmos com o que ela não é. Independência não é “não depender de nada e de ninguém”, e também, neste caso, não significa fazer o que quiser a partir de um determinado momento de desligamento de outro. 
Neste contexto de governo, independência deve ter o significado de desligamento para um novo começo, uma nova ordem, reconhecida como autônoma por aquele que antes provia a direção. É o caso de quando duas pessoas decidem caminhar juntas em família. O homem e a mulher deixam os seus familiares para iniciarem uma nova família, também debaixo de uma ordem social e desfrutando agora de mesmos privilégios. Neste sentido, independência pressupõem uma ordem natural para o desenvolvimento da vida. Quando os filhotes de um animal já são crescidos, naturalmente eles são desmamados e passam por este momento de independência dos pais para buscarem a sua própria vida. É uma ruptura natural para uma nova ordem. Na bíblia encontramos este fundamento de governo desde muito cedo no livro de Gênesis.
Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. Gênesis 2:24
Um dia fomos um povo dependentes de Portugal, mas em um determinado momento da história, que naturalmente tenderia a acontecer, buscamos a nossa independência. Nem sempre isto é desejado por quem tem o poder sobre outro, pois os sentimentos egoístas sempre divergem desta idéia de desligamento autônomo e responsável, contudo este momento deve acontecer para que o crescimento continue. Até certo ponto a dependência pode ser natural, mas depois torna-se imperativo que aconteça este desmame.

Por aqui, fomos nos aproximando deste estado mediante várias tentativas, manifestações e aspirações de liberdade privada e pública, até que em 07 de setembro de 1822 o povo brasileiro, através dos seus representantes, declaram-se desligados do domínio do governo português para serem uma nação livre e soberana. Isto poderia ter consequências graves se não fosse logo reconhecida esta independência. Mas, para nosso proveito isto aconteceu de maneira pacífica, diferentemente de outras nações, que tiveram de lutar e conquistar este direito com o sacrifício de sangue de muitas vidas.

Desde este dia até hoje, somos uma nação livre e independente. Uma nação onde os direitos individuais são respeitados, claro que não na sua perfeição, mas pelos menos de modo geral; muitos são os avanços neste sentido. Um país independente deve manter-se sobre o fundamento da liberdade individual equilibrada através da consciência das responsabilidade coletivas. Suas leis devem refletir isto. Sabemos que a responsabilidade coletiva somente é manifestada de forma legítima quando o homem volta-se para Deus, desta forma, é correto afirmar o que diz o escritor bíblico, “feliz a nação cujo Deus é o Senhor”. Somente quando o homem teme a Deus ele torna-se sensível para com o seu próximo e isto é uma garantia que as liberdades individuais não serão regidas pelo egoísmo, mas sim pela compreensão e cooperação entre seus semelhantes. 

Brazilian flag
Então, viva a liberdade, viva a independência! Ainda somos uma nação livre e soberana! Deus seja louvado por isto! Estes ventos de liberdade fluem do seu trono e sempre possuem o Seu aval.
Agora podemos entender melhor porque cantamos “ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil”. A liberdade é uma grande preciosidade de uma nação. Deve ser mantida e defendida pelo seu povo a qualquer custo.




Comemorações da Independência em 2012 

Tema do Momeno Cívico Especial de Setembro 2012: os nossos hinos cívicos

Para este momento cívico especial, procuramos construir um pensamento de valor para com a nossa nação, através do canto e estudo dos nossos hinos. Cada uma destes hinos expressam a nossa identidade, exaltam as nossas conquistas e aquilo que nos une como um povo. Conhecer e cantar os nossos hinos fortalecem os nossos laços comunitários, promove a nossa identidade e constrói o nosso senso de pertencimento, elementos essenciais a nossa vida.
Cada turma, de acordo com o núcleo social que estudaram como conteúdo específico do ano, irão apresentar os seus hinos. Começarão pelo hino da nossa cidade, seguido pelo hino do nosso estado e país. Isto deverá acontecer com a presença das nossas bandeiras, simbolos dos nossos maiores grupos de identidade coletiva, a nossa cidade, lugar que nos abriga, o nosso estado, divisão da nossa grande nação e da bandeira do nosso país, nação soberana e especial nos planos de Deus, o Brasil!

Destacaremos também para este momento, representantes dos poderes constituidos da nossa cidade. Para cada uma das instituições básicas teremos um representante diante dos alunos durante o canto do hino nacional. Família, governo civil e a igreja.

Diante de todos estes simbolos que fortalecem nossa identidade e pertencimento, cantemos o hino nacional brasileiro em sinal da nossa responsabilidade para com a manutenção da paz, liberdade e do progresso da nossa nação.

Queremos como escola, promover um ambiente de valorização e fortalecimento da identidade da nossa nação semeando isto no coração dos nossos alunos com vistas a colhermos no futuro frutos de maior comprometimento com a integridade e desenvolvimento da nossa nação através de uma perpectiva de liberdade cristã.

Por Rubens Cartaxo


 

 Veja mais: 

Veja Projeto Independência 2010

Concurso sobre a Bandeira Nacional 

Concurso sobre o Hino Nacional 

Semana da pátria 2012 

Imagem da bandeira: Site do Planalto

Decreto de Lei 5700 de 1 set 1971 - Art. 14. Hasteia-se, obrigatòriamente, a Bandeira Nacional, nos dias de festa ou de luto nacional, em tôdas as repartições públicas, nos estabelecimentos de ensino e sindicatos.

 

Parágrafo único. Nas escolas públicas ou particulares, é obrigatório o hasteamento solene da Bandeira Nacional, durante o ano letivo, pelo menos uma vez por semana. 


Comentário:

Dados enviados atraves de formulario por:
- Kaline Maria Lessa Neto Ferro
- Quinta, 15 de Agosto de 2013 as 07:18:38
---------------------------------------------------------------------------

Mensagem: Excelente artigo, me sinto abençoada em ter meus filhos nessa escola, é uma honra tê-los estudando no Imago Dei. 

---------------------------------------------------------------------------



Clique para comentar este ARTIGO.
(Obs.: Seu e-mail não será divulgado.)

INSTITUCIONAL
MULTIMÍDIA
INFORMAÇÃO
OUTROS
Rua Cícero Fernandes Pimenta, 433 - Monte Castelo - Parnamirim-RN Fone 84 3272.3432
© 2007-2018 Imago Dei Instituto de Educação Cristã
ConexãoDigital.com