HOME •  INFORMAÇÃO • Artigos
Estamos Perdendo Nossas Crianças!

Comentário ao Comitê Executivo da Convenção dos Batistas do Sul(USA) em 18 de Setembro de 2001.

Os eventos do 11 de setembro foram uma terrível tragédia. A nação foi despertada de súbito e precisamos tomar ações efetivas. Ainda pranteamos os mortos e oramos por suas famílias. Ainda assim, tendo dito isto, avaliando-se como uma ameaça a longo prazo e em números de vidas destruídas, a tragédia que quero discutir como vocês, faz os ataques contra o World Trade Center e o Pentágono parecerem anões – literalmente, anões.
Estamos perdendo nossas criancas!
As pesquisas indicam que 70% dos adolescentes que estão envolvidos em algum grupo de jovens na igreja deixarão de freqüentá-la nos dois anos subseqüentes ao término do ensino médio! Pense em tal declaração. Ela trata apenas dos adolescentes que freqüentam a igreja e participam em um grupo de jovens. O que isto sugere sobre aqueles adolescentes que freqüentam a igreja, mas não participam do grupo de jovens, ou que simplesmente não vão à igreja?

Em uma palestra no Southwestern Seminary, Josh McDowell alertou que menos de 1/3 dos jovens de hoje freqüentam a igreja. Se ele estiver certo e 67% não estiverem indo à igreja e nós ainda estivermos perdendo 70% daqueles que estão, isto quer dizer que nos dois anos após a conclusão do ensino médio, somente 10% dos jovens americanos estarão freqüentando a igreja.
Estamos perdendo os nossos jovens!
Por que isto está acontecendo? São muitos os fios que tecem tal tapete e certamente há muitas razões pelas quais nossos jovens têm abandonado Cristo. Entretanto, eu creio que a evidência claramente indica que as razões primárias são, primeiro, o nosso fracasso como pais e igrejas Cristãos e, segundo, o intencional, persistente e altamente efetivo esforço dos antiteístas em usar nossas escolas públicas para conduzir nossas crianças para longe de seus pais e da igreja.

Um pouco de história:
Por volta de 1830, um grupo de ricos Unitários em Boston ficaram descontentes com as escolas controladas localmente, dirigidas por pais e influenciadas pela igreja que prevaleciam à época. Eles decidiram tentar estabelecer um sistema de escolas seculares e dirigidas pelo estado. Eles enviaram dois jovens estudiosos ao exterior para estudar os principais sistemas escolares europeus com o intuito de decidir que sistema usar como modelo. Depois de um estudo de dois anos a equipe recomendou, e seus patrocinadores adotaram o modelo Prussiano como seu modelo. Por quê? Porque neste sistema o estado tinha o controle completo, os pais não possuíam qualquer influência e as crianças eram matriculadas na mais tenra idade.

Com esta decisão tomada, o grupo desenhou um plano de três partes: (1) freqüência compulsória, (2) graduação em pedagogia por uma faculdade estatal como pré-requisito para certificação como professor e (3) escolas de propriedade do estado e por ele operadas. Este foi o plano que eles propuseram à Legislatura de Massachussetts.

Eles, entre si, concordaram que se eles não pudessem inicialmente obter aprovação para todos os três elementos, a parte mais importante seria a questão da formação universitária dos professores. Esta foi sua prioridade, pois concordaram que “Se nós ensinarmos a eles o que ensinar, eles ensinarão o que foram ensinados.”

O custo do primeiro ano para o estabelecimento da faculdade de professores foi de $50,000 (cinqüenta mil dólares). A Legislatura de Massachussets empacou dizendo que o custo era alto demais. Então, os abastados Unitários fizeram uma irrecusável proposta: eles investiriam $25,000 (Vinte e Cinco Mil dólares) e o estado os outro 50%. O estado concordou e em 1837 o primeiro sistema de escolas públicas dos Estados Unidos foi estabelecido. Logo os outros estados adotaram o modelo.

A fundamentação filosófica das escolas do governo:
Apenas 14 após o estabelecimento do sistema escolar estatal de Massachussets, Augusto Comte escreveu o seguinte em seu Sistema de Política Positiva, vol. I, 1851, pp. 35-6.

“O objeto de nossa filosofia é dirigir a reorganização espiritual do mundo civilizado... podemos começar de uma vez a construir um sistema de moralidade sob o qual a regeneração final da humanidade ocorrerá.”

A “reorganização espiritual” mencionada por ele era um plano de longo prazo, e tem progredido firmemente até hoje. Lembre-se que a grande mitologia de Darwin, A Origem das Espécies, foi publicada em 1859.

Claro que Comte não estava sozinho em sua visão de um futuro sem Deus, de humanidade sem individualidade, de regra pelos auto-definidos mais capazes sobre os menos capazes. Em 1918 Benjamim Kidd publicou em Londres um livro, A Ciência do Poder. Na página 309 ele assim escreveu:

“Líderes cegos que buscam converter o mundo com seus elaborados argumentos. Saiam do caminho ou o mundo terá que joga-los a força. DÊ-NOS OS JOVENS. DÊ-NOS OS JOVENS e nós criaremos uma nova mente e uma nova terra em uma única geração.”

Dez anos mais tarde em 1928, Ross L. Finney, Ph. D., publicou nos Estados Unidos Uma Filosofia Sociológica da Educação. Na página 118 Finney escreveu: “Tudo depende de passarmos as opiniões especializadas dos cientistas sociais às massas; e as escolas, particularmente de ensino médio, são a única agência adequada disponível para esta função.”

E na pagina 117 ele diz: “É da alçada dos professores não apenas meramente dirigir a escola, mas o mundo; e o mundo jamais será verdadeiramente civilizado até que eles assumam tal responsabilidade.”

Outra interessante citação vem da obra A reconstrução da Religião de Charles A. Ellwood, Ph. D., Professor de Sociologia, Universidade de Missouri, 1923, pagina 177: “A Sociologia demonstra que as instituições humanas são em cada caso ajustes aprendidos e, portanto, podem também ser modificados se tomarmos o controle do processo de aprendizagem.”
E Associação Humanista Americana entende a importância de capturar as crianças, pois escreveram: “Para capturarmos esta nação, tem-se que remover totalmente os valores espirituais e morais assim como os absolutos do pensamento das crianças. As crianças tem que pensar que não há padrão de certo e errado, que a verdade é relativa e que a diversidade é o único absoluto a ser assimilado.”

Discussão:
Todos têm uma cosmovisão, uma perspectiva do mundo a sua volta. Bob Reccord referiu-se a isso como um “ponto de referência.” Ele talvez não pense nisso nestes termos. De fato, ele pode não pensar nisso conscientemente, mas não podemos existir sem uma estrutura dentro de nós na qual colocamos eventos e indivíduos, que determina seus valores e que tais valores, por sua vez, guiam suas ações e reações em relação aos eventos e às pessoas.

Apesar de haverem muitas cosmovisões definidas por muitos termos exóticos e não-exóticos, todas elas se restringem a dois tipos: A sua cosmovisão ou é homocêntrica ou teocêntrica.

Todos nós estamos familiarizados com Deuteronômio 6:7-9: “E as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás por sinal na tua mão e te serão por frontais entre os teus olhos; e as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.”

No entanto, parece que temos esquecido ou ignorado os comandos de Deus sobre a educacao:

Lucas 6:40 (PJFA)
“Não é o discípulo mais do que o seu mestre; mas todo o que for bem instruído será como o seu mestre.”
Será que nós queremos que nossas criancas adotem as crencas anti-Cristãs, socialistas, pró-homossexuais, sem certo ou errado absolutos promulgadas nas escolas do governo?

Colossensses 2:8
“Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo.”
Isto é exatamente o que está acontecendo com nossas crianças. Elas estão sendo estragadas pelas filosofias e enganos “segundo a tradição dos homens.”

II Coríntios 6:14
“Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas?”
Mas é exatamente isto o que fazemos quando enviamos nossas crianças para escolas do governo.

A maioria dos Batistas do Sul e a maioria das igrejas Batistas do Sul têm falhado em obedecer os comandos de Deus em relação às nossas crianças. Sim, nós as levamos para o culto de domingo e para a escola dominical. Sim, elas também freqüentam a AWANA ou outro programa para jovens evangélicos. Talvez até tenham estudos bíblicos em casa.

Mas duas ou três horas no domingo e 20 e poucos minutos de estudo bíblico em casa são desbancados facilmente por 30 horas ou mais por semana em escolas anti-Cristãs do governo e pelo bombardeamento constante da mídia pagã que, no final das contas, somam outras 10, 20, 30 horas ou mais por semana para o inimigo.

Agora, é claro que muitos professores são Cristãos. E que Deus os abençoe por eles estarem fazendo o que podem. Mas eles estão rigidamente limitados às políticas escolares, livros-texto pagãos, programas que ensinam a validade da homossexualidade, abordagens do “faça sua própria cabeça” (ou “É você quem decide) em relação à moralidade, “sexo seguro” e assim por diante.

Por que temos falhado com o nosso Deus nesta responsabilidade criticamente importante?

1. Temos falhado porque temos sido voluntariamente, desejosamente ignorantes e satisfeitos com nossa ignorância.
2. Temos falhado porque a grande maioria de nós não tem esforçado-se para nos informar dos fatos... muito embora haja abundância de livros e artigos prontamente disponíveis.
3. Temos falhado porque – mesmo sabendo dos fatos – não temos tido a coragem para apontá-los para o nosso povo.
4. Temos falhado porque temos tido medo de ofender as pessoas. Então, temos escolhido ofender a Deus ao invés dos homens.

O que devemos fazer?
A solucao ideal e mais bíblica é que os pais deveriam educar seus próprios filhos em casa. Todas as nossas igrejas deveriam acolher e abertamente encorajar os pais que assim fizessem.

Mas, claramente muitos pais não podem ou não desejam educar seus filhos em casa. Então, para estas criancas precisamos iniciar grandes numeros de escolas Cristãs. E tais escolas precisam ser verdadeiramente Cristãs:

Cristãs na fé sincera dos professores e toda a equipe,
Cristãs nos livros-texto cuidadosamente escolhidos,
Cristãs em sua cosmovisão por completo.

Perceba que estas escolas devem também ensinar sobre evolução, sobre humanismo, sobre pós-modernismo... mas de maneira equilibrada, apresentando os argumentos dos evolucionistas de forma completa e justa, mas também demonstrando suas fraquezas, as pressuposições mitológicas sobre as quais estas mentiras estão baseadas e as conseqüências desastrosas para aqueles que escolhem viver sem Deus. Nossas crianças devem estar preparadas para conviver, confrontar quando necessário e triunfar no debate com secularistas. Esta é uma área em que a ignorância NÃO é uma virtude.

Pode-se perguntar: “Então, Não temos feito nada a respeito deste problema?" Sim, temos feito um pouquinho:

Um número relativamente pequeno de igrejas Batistas do Sul ativamente encoraja a educação de filhos por seus próprios pais em seus próprios lares. Algumas de nossas igrejas têm ótimas escolas Cristãs (apesar de algumas escolas de igrejas serem Cristãs apenas no nome e em suas orações, pois utilizam os mesmos livros-texto que as escolas seculares).

Bob Reccord apresentou-nos alguns resultados impressionantes de ministérios de verão para jovens. Sob a Aliança para um Novo Século, Jimmy Draper estabeleceu a Church Resources Division especificamente encarregada de auxiliar escolas Cristãs e iniciativas de pais que desejam educar seus filhos em casa.

Um artigo XII da revista 2000 Baptist Faith and Message alerta que “a causa da educação no Reino de Cristo é coordenada com as causas das missões e benevolência geral, e deveria receber junto com estas o apoio liberal das igrejas. Um sistema adequado de educação Cristã é necessário para um programa espiritual completo para o povo de Cristo.”

Ao passo que é bom o fato de termos identificado esta necessidade, agora devemos fazer muito mais para estabelecer este “sistema adequado de educação Cristã.”

Conclusão:
Eu oro que o Senhor faça seus corações queimar pelas crianças e sua Educação Cristã. Oro também que Ele os conduza a encorajar os pais a educarem seus filhos em casa e ao estabelecimento de cada vez mais escolas verdadeiramente Cristãs.


Materiais Recomendados:
1) An excellent, brief book by Glen Schultz, Kingdom Education, courtesy of Lifeway.
2) A booklet, Teachers, Curriculum, Control, by Daniel Smithwick of the Nehemiah Institute.
3) And a summary of Josh McDowell's points when he spoke at Southwestern.
Together these handouts make a strong case for the urgency of the need.

Nota: É certo que este texto trata da realidade dos Estados Unidos, porém facilmente podemos notar que não são muitas as diferenças em relação a realidade do modelo educacional adotado no nosso país, bem como as estatísticas sobre os nossos jovens cristãos.

[Tradução de Fernando Guarany]



Clique para comentar este ARTIGO.
(Obs.: Seu e-mail não será divulgado.)

INSTITUCIONAL
MULTIMÍDIA
INFORMAÇÃO
OUTROS
Rua Cícero Fernandes Pimenta, 433 - Monte Castelo - Parnamirim-RN Fone 84 3272.3432
© 2007-2018 Imago Dei Instituto de Educação Cristã
ConexãoDigital.com